Cotidiano

Tudo o que você precisa saber para se deslocar com facilidade durante o intercâmbio em Dublin

25/08/2016

Tweet Linkedin Google+

Existem pelo menos cinco alternativas de transporte na capital irlandesa: trem, ônibus, táxi, carro, bicicleta. Muita gente prefere ainda a opção a pé, especialmente quem mora no centro de Dublin e tem tudo a sua disposição caminhando. Um pesquisa de 2015 feita com usuários do transporte público mostrou que, especialmente para compras, a maioria dos irlandeses sai a pé ou de ônibus, pois são poucas as opções de estacionamento para carros e os valores muito altos. Para saber qual meio de transporte melhor se encaixa na sua rotina, conheça um pouco sobre as opções em Dublin e compare vantagens e desvantagens de cada um.

Trem

Dublin oferece apenas trens de superfície, não há metrô. Na cidade, ele é chamado de Luas. Já o Dart cobre a região metropolitana. O Luas circula com as linhas verde e vermelha. Cada uma cobre uma parta de Dublin em lados opostos do rio Liffey, que corta a cidade. Apesar de existir um projeto para interligar as linhas até o final de 2017, elas ainda não se cruzam. Indica-se o Luas para quem tem como destino regiões próximas às estações e consegue se deslocar facilmente até elas - muitos moradores usam o carro até a estação mais próxima de sua casa e, depois, o Luas até o trabalho - essa medida evita trânsito e representa economia com os estacionamentos centrais que são caros. É possível comprar bilhetes para viagem única ou semanais na própria estação ou pagar com crédito do Leap Card/carteirinha de estudante. Com o Leap Card, o passageiro deve tocar o cartão na máquina de validação que fica em cada estação - ou seja, é preciso pagar antes de embarcar. Ao desembarcar, deve-se tocar novamente o cartão para que seja cobrado apenas o valor referente ao trecho usado - caso contrário, o valor descontado será o da tarifa inteira. Para facilitar as viagens, existe ainda um aplicativo para Android que informa em tempo real quanto falta para a chegada do Luas de determinada linha passar na estação escolhida.

O Dart funciona de forma semelhante, mas circula pela costa de Dublin passando por Bray, Dún Laoghaire, Howth, Malahide ou Wicklow, por exemplo. É uma boa opção para evitar trânsito até esses destinos. Em alguns horários, é permitido entrar com bicicleta. O pagamento da tarifa pode ser feito com o Leap Card ou comprando o bilhete nas máquinas das estações.

Ônibus

A empresa responsável pelo serviço de ônibus na capital é a Dublin Bus. Praticamente 50% do transporte público da capital é feito através de ônibus que funcionam diariamente com exceção do dia 25 de dezembro (nesta data, no transporte público não funciona em Dublin). A tarifa pode ser paga no próprio ônibus ao motorista com moedas no valor exato (ou não haverá troco) ou com o cartão Leap Card, que oferece tarifa reduzida para viagens únicas, bilhete diário ou para uma semana de uso ilimitado. Estudantes com o Leap Card estudante (carteirinha de estudante) têm desconto ainda maior. Para uso ilimitado, o passageiro passa o cartão direto na máquina que existe dentro do ônibus, localizada logo na entrada do carro após o motorista. Cada vez que a pessoa entrar em outro ônibus deve passar o cartão. O valor máximo descontado no dia será de 7 euros para usuários do Leap Card normal e 5 euros para estudantes. Não há necessidade de passar o cartão ao desembarcar do ônibus, apenas ao entrar. A maioria das paradas tem um quadro de informações em tempo real mostrando quanto tempo falta para a chegada do carro de determinada rota. Existe ainda um aplicativo que disponibiliza rota dos ônibus, informações sobre as linhas que passam em cada parada e o intervalo de tempo de espera para cada ônibus em relação ao ponto.

Bicicleta

Sinônimo de economia de tempo e dinheiro, a bicicleta também é ótima opção para quem gosta de atividades físicas. A vantagem em Dublin é que elas têm prioridade no trânsito - muitos executivos vão trabalhar de bicicleta vestindo terno e gravata. Os ciclistas usam a faixa de ônibus e táxi e, apesar de haver necessidade de atenção maior para andar entre os veículos na hora de cruzar, existe um cuidado especial dos motoristas com quem está pedalando. Comprar uma bicicleta pode ser uma boa opção. O único problema é o risco de não encontrá-la ao final de um dia de estudo ou trabalho - o índice de furtos é grande e os cadeados devem ser reforçados. Outra alternativa é usar as bicicletas do projeto Dublin Bikes. O centro da cidade está cercado de estações, o que facilita muito encontrar bicicletas disponíveis e vagas para retorná-las. Com 20 euros por ano, é possível fazer a carteirinhas e usar as bicicletas quantas vezes quiser - desde que cada retirada não ultrapasse 30 minutos - ou seja, é indicada para deslocamentos rápidos. O cartão também está disponível para turistas por uma taxa de 5 euros para três dias de uso. A desvantagem é para quem mora em bairros mais afastados, pois ainda não consegue usufruir dessa facilidade - novas estações estão sendo construídas.

Táxi

Para sair à noite e voltar de madrugada, o táxi é a melhor opção. A tarifa não é das mais caras - deslocamentos pela região central ficam em torno de 10 euros; uma corrida do centro até o aeroporto custa cerca de 20 euros. Os táxis na Irlanda cobram uma taxa de 1 euro por passageiro extra. Se você for dividir a corrida com mais três pessoas, por exemplo, pagará o valor do taxímetro mais 3 euros. A dica é sempre conferir se o taxímetro está ligado e se as informações sobre o motorista estão expostas no painel. É uma espécie de carteira de habilitação com foto, nome do motorista e número de registro dele. Qualquer problema, você pode fazer uma reclamação nas autoridades de transporte nacional - mais informações no site Transport for Ireland. Outra alternativa é o Hailo, que funciona de forma parecida com o Uber no Brasil - mas taxistas também estão cadastrados. Através de um aplicativo, a solicitação de um carro é feita e o veículo registrado que estiver mais próximo a você e disponível assumirá a rota. As vantagens incluem solicitação rápida e pagamento que pode ser feito via celular com cartão cadastrado no aplicativo.

Carro

Um carro pode ser ótimo para deslocamentos pelo interior, mas para o centro da cidade o trânsito e a falta de estacionamentos deixam o transporte menos interessante - são poucas vagas no estacionamento rotativo e o valor por hora em estacionamentos privados varia de 3 a 8 euros. Mas é claro que tudo depende da rotina de cada um, pois para percorrer determinados trechos e em horários alternativos, ele pode ser indispensável. Vale lembrar, no entanto, que um carro na Irlanda é barato (até por mil euros), mas o seguro costuma ser bem alto (cerca de mil euros). Além disso, estrangeiros de fora da Europa precisam tirar a carteira de habilitação irlandesa após residirem por 12 meses no país.

 

Por Marciéli Palhano, jornalista e intercambista em Dublin.