Cotidiano

5 regras de convivência essenciais para compartilhar casa no intercâmbio

10/08/2016

Tweet Linkedin Google+

Saber dividir casa é regra básica para todo intercambista. Dificilmente alguém consegue morar sozinho durante a aventura internacional, pois o preço do aluguel é muito caro - em Dublin, apartamentos de 1 quarto ficam em torno de 1200 euros por mês, enquanto um quarto em casa compartilhada sai por cerca de 600 euros mensais e quarto compartilhado por 300 euros. Além disso, a experiência não seria a mesma sem conviver com desconhecidos, especialmente se forem de nacionalidades diferentes da sua - essa é uma das vantagens de morar fora. No entanto, essa tarefa que parece tão simples para alguns, pode ser um pesadelo para outros. Tudo depende da flexibilidade de adaptação de cada um e das regras estabelecidas desde o primeiro contato e acordada entre todos os moradores.

Com boas maneiras, a experiência de compartilhar casa permite grandes amizades, amplia a rede de contatos e ainda representa economia. Por isso, saiba avaliar criticamente as pessoas com quem você for morar. E não deixe de cumprir e cobrar o que ficou combinado.

Seja responsável

Para uma convivência em harmonia, é preciso que você seja responsável. Pague o aluguel, contas de água, energia, gás sempre em dia - e mantenha um comprovante com você, mesmo que a pessoa responsável por juntar todo o dinheiro da casa e fazer os pagamentos seja de confiança. Isso evita problemas de controle financeiro e até golpes que já aconteceram com estudantes.

Se você decidir mudar de casa no meio do contrato, todos os moradores precisam estar de acordo e, possivelmente, você precisará encontrar outra pessoa para colocar no seu lugar. Claro que o combinado deve estar em contrato justamente para evitar desentendimentos. Mas a melhor maneira de resolver a situação é colocar-se sempre no lugar do outro. Que atitude você esperaria dos seus colegas de casa se eles estivessem na sua situação? Procure sempre fazer o que é melhor para todos.

Respeite o espaço do outro

Se você costuma dormir cedo e acordar cedo, mas seu colega de quarto não faz o mesmo, saiba ser discreto e não faça barulho. A mesma coisa se você é daqueles que chegam de madrugada. O ideal é que duas pessoas com rotinas e estilos de vida parecidos dividam o mesmo quarto. Caso você tenha seu próprio quarto, tudo fica melhor, mas ainda assim é preciso saber dividir espaços comuns - banheiro, sala, cozinha. Não escute música ou assista à filmes com volume muito alto, a menos que seu flatmate esteja de total acordo.

A comida costuma ser alvo de problemas. Se vocês decidiram cada um comprar suas coisas, jamais pegue nada do outro sem permissão - e mesmo com permissão, não faça disso algo rotineiro. Se a decisão for dividir tudo, tenha em mente que por mais que os gostos sejam parecidos, conflitos podem surgir - um come mais carne; o outro, mais verduras. Um alimento é mais barato; o outro, mais caro.

Crie esquemas de limpeza

Não importa se seu estilo é deixar a louça acumular primeiro, é preciso lembrar que você está dividindo a casa com outras pessoas que vão usar o mesmo espaço. Portanto, faça um esforço, lave, seque e guarde tudo o que usar. Não deixe nada espalhado pela casa, pois o espaço não é seu - mantenha suas coisas no seu quarto, no seu canto. Para evitar discussões, o ideal é estabelecer regras para a limpeza e organização da casa. Pode-se montar uma escala de limpeza, onde as tarefas são compartilhadas ou cada um fica responsável por tudo em um determinado dia. O importante é que todos estejam de acordo com as regras e cumpram suas tarefas.

Não traga estranhos sem avisar

Lembre-se: a casa não é apenas sua. Coloque-se sempre no lugar do outro e tente entender como pode ser desagradável chegar em casa e encontrar desconhecidos em um espaço que, possivelmente, já é apertado. Então, evite levar pessoas para sua casa e apenas faça isso quando os demais moradores forem avisados. Se tudo estiver de acordo, evite que a pessoa fique por muito tempo, que represente mais gastos com energia, água ou consuma alimentos que são de todos. Se alguém estiver de visita, combine com os demais moradores e ofereça-se para pagar um pouco mais, o suficiente para cobrir as despesas extras dessa pessoa.

 

Seja tolerante

Brigar por coisas pequenas não vale a pena. Portanto, se o responsável por levar o lixo esqueceu e você está em casa disponível, faça um favor ao seu colega. Não deixe isso virar rotina, mas às vezes é melhor ajudar o próximo do que trazer complicações para a convivência de todos. Se alguém esqueceu a louça na pia pela primeira vez, saiba compreender sem criticar - isso pode acontecer até com você um dia por desatenção ou falta de costume. E tenha em mente que conversar é sempre melhor do que julgar, criticar ou falar pelas costas. Assim como em relacionamentos, as pequenas coisas do dia a dia fazem toda a diferença para uma vida em harmonia. Não gaste suas energias com o que não agrega nada. Mantenha o foco da sua experiência no intercâmbio, tolere, converse e seja amigável.

 

Por Marciéli Palhano, jornalista e intercambista em Dublin.